Home Office e LGPD

Que a pandemia nos trouxe a facilidade do home office, é fato. Mas, e a segurança dos dados?

Com a reforma trabalhista, o tele trabalho se tornou possível, mas, aí passou ao viger a Lei nº 13.709/18 – Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), e o que está sendo ignorado ou pelo menos, desprezado.

Muitas empresas se inovaram com o home office, mas, definitivamente “esqueceram” que este modelo é um ponto nevrálgico, um risco para a adequação da LGPD.

Sim, e muitas empresas (a imensa maioria) sequer têm a implementação em andamento, o que deixa o risco incalculado.

Mas, e como fica a questão? – Como resolver?

A única resposta é que, sem a empresa realizar a implementação a adequação, e sem percorrer todos os caminhos para tanto, a partir da realização do diagnóstico de maturidade, Data Mapping e Roadmap de implantação​, a implementação de conformidade em toda a estrutura de TI e RH, além da mudança da cultura de dados aos colaboradores com palestras e cursos, e, a entrega do “tutorial”, seguido da consultoria semestral para manter a implementação adequada, não haverá solução.

A partir da implementação a adequação da LGPD, é que se analisa, diagnostica e adequa o trabalho home office, ainda que, seja considerado um ponto nevrálgico tido como risco calculado na cadeia de dados, para se manter, sem a devida segurança que se espera quando da implementação.

Então, ao falarmos de trabalho home office, hoje, é imprescindível olharmos para a LGPD e nos questionarmos se o modelo é sustentável em razão dos riscos. Para tanto, é preciso implementar a adequação da LGPD ou sofrer as duras penas que ela (Lei) traz.

E sua empresa, está preparada para home office com a vigência da LGPD?

 

Anderson Altini Baldasso

Sócio da Consultoria Comitê LGPD

Deixe uma resposta